*****************************************


" De Passagem ..."


Você passou por mim, imprevistamente,
nesse perfume ...

Nesta manhã de sol
será que eu também passarei por você
num vulto anônimo qualquer,
numa fala? num gesto?
ou na própria manhã, que imprevistamente desenterra
estátuas de lembranças, incólumes...

Ou você me esqueceu no passado,
na sombra, onde não há sol, não há talvez,
... e nem uma flor nascerá em sua lembrança
de quando em vez?



( Poema de J.G. de Araujo Jorge
do livro "ESPERA..."- 1960 )


*****************************************

Home